The walking dead: mais uma decepção à vista?



Vocês sabem que sempre fico com um pé atrás com essas "séries-sensação", ainda mais depois do final de L.., ops, jurei que não ia voltar mais nesse assunto! Então, comecei a ver The walking dead procurando não criar muita expectativa. Afinal, quantos filmes de zumbi você já viu na vida mesmo? E, convenhamos, as variações sobre o mesmo tema são bem limitadas. Mas eram seis episodiozinhos só, o risco de esgotar assunto logo era menor, dei uma chance.

Bom, até que a série tem seus bons momentos. O melhor pra mim (SPOILERS pra quem não viu, hein!) foi o ataque surpresa ao acampamento, chocante mesmo. Mas não podemos esquecer do nosso amigo algemado no topo do prédio lá na cidade, num momento digno de Jogos mortais. Parei de reclamar e assisti interessada, ignorando totalmente que aquele história da mulher do policial com o melhor amigo dele não era um primor de originalidade. Mas séries desse tipo tem um pouco isso, né? Reunir pessoas diferentes, confinadas tipo Big Brother, o que só desperta nossa curiosidade para ver como eles reagem a situações sob pressão. Só que esta foi uma série muito curta, não dá tempo pra gente se apegar de verdade às pessoas. A parte da ação ficou mais legal: o clima de tensão cada vez que alguém tinha que passar entre os mortos-vivos era ótimo.
 

A questão é: custava explicar como surgiram os zumbis? Custava escalar um elenco mais convincente? Custava deixar umas ceninhas mais emocionantes para a season finale? E aquele cientistazinho maníaco-depressivo (e mala) era totalmente dispensável, né? Sua única função foi contar um segredinho que serviu de gancho para a próxima temporada. E agora Frank Darabont anuncia que a segunda leva de episódios será escrita por roteiristas freelas. Ou seja: nenhuma ideia do que teremos pela frente, assim como nossos protagonistas. Acho que não vou morrer de ansiedade até lá.
 
Giselle de Almeida

10 comentários:

Fabiane Bastos disse...

Que pessimismo! Pense que o copo está meio cheio, quem sabe a coisa fica ainda melhor!

Mas por precaução, não custa rezar p/ santo Romero, né! kkkk

Adelso Zamprogno disse...

Gostei bastante da série, mas o Season Finale ficou bem abaixo do que eu esperava...

Esse negócio de escritores freelancers me deu um pouco de medo no começo, mas acho que pode ser uma boa ideia pensando a longo prazo. =)

_____________
Lose Yourself

Giselle de Almeida disse...

Ai, gente, acho que fiquei traumatizada, foi isso... Mas vamos torcer por uma segunda temporada digna!

Hugo Oliveira disse...

Giselle! Quanto tempo, hein? Quem escreve é o Hugo, de Angra dos Reis - pós-graduação, lembra? Ó, muito legal o blog. Estarei sempre lendo! Beijos.

Ah, também tenho um, com um amigo: http://aboutthepassion.blogspot.com

Giselle de Almeida disse...

Hugo, seja bem-vindo! Legal, vou passar lá no seu blog pra conhecer também. :)

bjs

Adelso Zamprogno disse...

Giselle, tem um selo pra você no meu blog =D


_____________
Lose Yourself

Giselle de Almeida disse...

Muito obrigada, Adelso! Adorei! :)

Sandro Honorato disse...

Olá e ai tudo bem?
po me disseram que esta série é massa...mas depois do que voce disse,vou procurar saber mais.

Visita?
RIMAS DO PRETO

Como faço pra te seguir?

Giselle de Almeida disse...

Oi, Sandro! A série até que foi bacaninha em alguns momentos, o problema é que eu acho difícil ser original quando o assunto é zumbis. O assunto já foi tão explorado... Mas o episódio final é que deixou a desejar mesmo. Mas vale a pena ver, são seis episódios só, passa rápido. E vamos aguardar a segunda temporada pra ver se os roteiristas nos surpreendem.

Pra me seguir é só clicar ali ao lado, na seção "Siga-me se for capaz". Também tem as opções do Twitter e do Facebook, eles avisam sempre que tem post novo. Vou passar lá no seu blog sim, pode deixar. Obrigada pela visita! :)

bjs

Leonardo Marinho disse...

Meu maior problema com essa série foi o filho do policial. O garoto parece mais zumbi do que qualquer outro morto-vivo da cidade. Branco, sem expressão e praticamente sem olho (você conseguiu ver o olho dele em algum momento?).

Mas o maior problema foi sua inocência e pureza. Ah, dá um tempo. Uma invasão zumbi erradicando a raça humana eu até consigo engolir. Agora um moleque daquela idade, tão puro e inocente... Não, isso já é demais pra mim.

Mas que venha a segunda temporada. Com mais respostas, claro. Só que eles vão precisar tomar cuidado pra não ficar sem personagem, já que os redatores tem uma tara por matar ao menos uma dúzia do grupo por episódio.

Precisava de alguma coisa pra tapar o buraco que House vem deixando. Cagaram completamente a série quando o transformaram em médico bonzinho e apaixonado.

Se eu quisesse um romance cheirando a éter teria começado a assistir Grey's Anatomy.

The Walking Dead não foi lá essas coisas, mas com certeza me manteve entretido por um tempo.

Ah, e ficou bem melhor do que as adaptações porcas de Resident Evil. Ah se ficou...

E vamos que vamos...