Só sei que nada sei


É a mais pura verdade a máxima que diz que quanto mais aprendemos, mais nos damos conta da nossa ignorância. Comprovei isso na última aula de francês. A gente tinha que criar um diálogo e apresentar pra turma. A professora deu uns minutos pra elaborarmos as frases, mas falamos tanta bobagem que não decoramos tudo, óbvio. E aí, rolam os improvisos. Uma colega não sabia mais o que dizer e resolveu olhar o relógio, pra dizer que tava na hora de ir embora ou algo do tipo. Acontece que... ela não sabia dizer as horas! A aula valeu só por isso.

Eu não sei se é só comigo, mas quando estou aprendendo um idioma novo, sofro um pouco no início. A falta de vocabulário não permite criar muitas frases, eu me sinto meio "me, Tarzan, you, Jane". Sei que é natural, que vai passar quando eu avançar um pouco no curso, mas sou ansiosa mesmo. A impressão que tenho é de que sou uma analfabeta. Acha que é exagero meu? Experimenta conversar com alguém só no presente do indicativo! É angustiante!

P.S.: para a tranqüilidade da turma, a professora avisou que vai ensinar as horas na próxima aula...
Giselle de Almeida

3 comentários:

Nayra Garofle disse...

Ah, Gi! Você está passando pelo o que passei com o italiano. Menina, era péssimo no início, sabia? Só hoje, depois de dois anos e meio de curso é que consigo falar alguma coisa. Acredita? É preciso muita vontade de aprender mesmo, ou necessidade, para não desistir. No início, nossa, as palavras ficavam na ponta da língua e não saíam. Vai uma dica: escute bastante tudo em francês! Rádio, música, filme...vai te ajudar bastante!
Baci!
Ci vediamo dopo!

GISELLE DE ALMEIDA disse...

Sorte que pra mim ver filmes e ouvir música não é tortura nenhuma... :)
beijos

Fabiane Bastos disse...

E não esqueça de ensinar p/ gente as horas em frances, depois q sua fêssora te ensinar ok! rsrsr