Surpresa e decepção



A surpresa: Tropa de elite. Não esperava que o filme levasse o prêmio principal do Festival de Berlim. Primeiro, porque o que se leu por aqui foi que as críticas internacionais haviam sido bem duras com o longa de José Padilha, classificando até a obra como fascista. Sinceramente? Acho Tropa um bom filme; politicamente incorreto, mas bem verossímil. Nunca subi favela, nunca acompanhei o trabalho do Bope, não li o livro, mas vivo no Rio de Janeiro e estou cansada de ouvir histórias sobre violência e corrupção. O capitão Nascimento é herói? Claro que não, assim como Jack Bauer, Rambo e tantos outros também não são. O Bope é a solução para todos os nossos problemas? Longe disso, do jeito que está acho que nem Superman dá jeito. O fato é que o filme é bom, sim: bem produzido, interpretado e dirigido. Fala de uma realidade que existe, sim. Não é documento da verdade, é obra de ficção. E o prêmio é muito bem-vindo.


A decepção: Sweeney Todd: o barbeiro demoníaco da Rua Fleet. Amo Tim Burton e Johnny Depp, e fui ao cinema cheia de expectativas, mesmo sabendo que se tratava de um musical. Mas me lembrei por que costumo rejeitar filmes do gênero no sábado à noite. Aliás, dos filmes recentes, só consigo gostar de Chicago e adorar Moulin Rouge (nem pra desenho da Disney tenho paciência). E aí, foi inevitável o desapontamento: em vez de as canções intercalarem os diálogos, o que se viu foi o contrário, algumas raras frases entre as intermináveis canções. Depp se sai bem como cantor e Helena Bonham Carter também não faz feio, mas uns intervalos maiores só fariam bem ao filme. Burton também exagera um pouco no sangue, mas... vá lá. O filme é sobre um assassino em série, não é? Dessa vez passa. Fora isso, o elenco impecável e o visual sombrio e bem cuidado de sempre. Pausa para um comentário nonsense: Alan Rickman e Timothy Spall estão no elenco (o Snape e o Rabicho dos filmes da franquia Harry Potter, respectivamente). O tempo todo tive a impressão de que Voldemort apareceria a qualquer momento...
Giselle de Almeida

2 comentários:

Fabiane Bastos disse...

Fazer oq né! Eu adorei, mas deve ser pq acho q as pessoas podiam sair candando e dançando pelas ruas que ia ser muito legal.
O estranho é que não gosto de Chicaco!
Sabe q também tava esperando "aquele que não deve ser nomeado dar as caras, rsrs". Parece que Rickman vai ser sempre o "Tio Snape".
E você esqueceu de mencionar que a gangue de Voldie (intimidade, não?) tava quase completa ja que Helena Bohan Carter é Belatrix Lestrange!!!!

GISELLE DE ALMEIDA disse...

É verdade, nem liguei o nome à pessoa. É que eu tava com muito sono quando vi o quinto filme... Tenho que revê-lo urgentemente!

A propósito, agora que nos livramos dos trabalhos (por enquanto), estou retomando a leitura do sétimo livro!!! Em breve, comentários aqui.